In #projetomaninblack Johnny Cash Música

PROJETO MAN IN BLACK // SEMANA NO. 11

Hey, amigos!
O ano era 1965 e Cash continuava sua carreira de forma brilhante, suas composições eram cada cada vez melhores e as produções dos discos se aprimorava a cada lançamento. No ano anterior, ele tinha gravado Bitter Tears, um álbum conceitual e bem significativo, pois Johnny tinha sido convencido de que sua ascendência incluía membros da tribo Cherokee, e isso serviu parcialmente de inspiração para gravar o disco. Porém, mais tarde, descobriu que sua ascendência era, na verdade, escocesa, inglesa e irlando-escocesa. Entretanto, aliado ao fato de suas produções serem cada vez melhores, o vício em anfetaminas estava cada vez pior, sua vida familiar estava em ruínas, além das diversas confusões durante seus shows. Em um deles Johnny chegou a ter um colapso precisando ficar internado por algumas noites.

Cash cultivava cuidadosamente sua imagem romântica de fora-da-lei e nós fãs ainda hoje nos pegamos vaidosos de seu comportamento, naquela dualidade de sentimentos que mesmo sabendo ser triste, nos orgulhamos das fotos dele sendo conduzido algemado para a prisão de El Paso, Texas, quando o esquadrão anti-narcóticos o pegou em flagrante. Os oficiais pensavam que ele trazia heroína do México, mas na verdade eram anfetaminas, centenas delas, escondidas na caixa de seu violão. Resultado: uma noite na prisão e multa de US$ 1.000,00. 


- DISCOGRAFIA 1965 - 


EP - Orange Blossom Special / All Of God's Children Ain't Free, 01 de janeiro de 1965 (Columbia)
EP - Understand Your Man / It Ain't Me Babe, 01 de janeiro de 1965 (Columbia)
LP - Orange Blossom Special, 01 de fevereiro de 1965 (Columbia)
EP - Mr. Garfield / Streets Of Laredo, 01 de maio de 1965 (Columbia)
EP - Sons Of Katie Elder / Certain Kinda Hurtin', 01 de julho de 1965 (Columbia)
LP - Ballads Of The True West, 01 de setembro de 1965 (Columbia)
EP - Happy To Be With You / Pickin' Time, 01 de outubro de 1965 (Columbia)

Há outro fato bastante marcante nesse ano. Desde de sua estreia, em 1956, Cash tornou-se um artista regular no Grand Ole Opry, mas o abuso das drogas e do álcool fez com que esse relacionamento fosse cortado por um tempo. Em 1965, enquanto se apresentava no Opry, Johnny está sob forte efeito de anfetaminas e álcool, apresentando um comportamento tão indisciplinado que lhe pediram para nunca mais voltar - essa cena está no filme de 2005,  Johnny e June (I Walk the Line).

"Eu não sei o quão ruim eu estava, mas na noite em que eu quebrei todas as luzes do palco com o suporte de microfone e eles me disseram que não poderiam mais me apresentar lá", lembrou Cash à CBS News. "Então, eu parti e usei isso como uma desculpa para realmente ficar louco e acabar no hospital, com o nariz quebrado pela terceira vez", completou. Esse episódio aconteceu enquanto ele dirigia o carro de June Carter, batendo-o num poste, quebrando o nariz e quatro dentes. Johnny Cash estava se autodestruindo.

Em junho de 1965, o caminhão de Cash pegou fogo devido a um rolamento de roda superaquecido, provocando um incêndio florestal em Los Padres National Forest, na Califórnia. O incêndio destruiu 508 hectares e matou 49 condores que estavam ameaçados de extinção e viviam na reserva. - "Eu não me importo com seus malditos urubus amarelos", disse Cash durante o julgamento. O governo federal processou-o e recebeu 125,172 dólares.

Para ouvir:
Orange Blossom Special, clique: Youtube (muita gaita, temas ferroviários, amo esse disco!) 🙌💜
Ballads of the True West, clique: Youtube

Related Articles

0 comentários:

Postar um comentário