In #12mesesdepoe Livros

12 MESES DE POE: ABRIL/17

Hey, amigos!
Mesmo distante, continuo participando do desafio #12mesesdepoe. Digo distante porque não tenho mais perfil  no Facebook (exclui o meu pessoal e mantive apenas o da fanpage) e as discussões agora acontecem apenas no grupo. Isso me deixou um pouco deslocada, mas pretendo seguir firme, pois esse contato com os textos de Poe me faz muito bem. Para o mês de abril temos o conto A aventura sem paralelo de um tal Hans Pfaall e o poema Sozinho. Reler "Alone" é sempre dolorido, ainda mais nesse mês que não foi muito amigável pra mim. 


Agora lembro o motivo de até então nunca ter terminado a leitura desse conto. Quando, ainda adolescente, comecei e achei tedioso e posso garantir que minha opinião não mudou muito. Extremamente descritivo, esse texto beira a chatice, mas é muito provável que os aficionados por cálculos matemáticos barra físicos, não tenham a mesma opinião que eu. Mas, o fato para tantos termos exatos tem uma razão: Poe queria se fazer acreditar, queria que as pessoas de fato pensassem que a história era mesmo verdadeira e pra isso ele se cercou de muitos termos técnicos. Confesso que eu mesma já estava crendo. haha

As 21 páginas (em pdf) vem contar a história de um homem, que, depois de ideias suicidas, resolve desenvolver um balão e sair por aí lindo e faceiro, abandonando de vez esse mundo cruel. Hans vivia com a sua mulher e os filhos de forma confortável, até perder seu emprego. As dívidas se acumulam - quem nunca, né? -  e ele começa a ter sempre à porta a presença de três credores que o procuravam para forçá-lo a pagar as despesas. Ele estava perdido, desejando morrer, até que encontrou um livro de astronomia numa biblioteca local, ficando rapidamente obcecado pelo assunto. 

A partir disso, é  iniciado o plano para escapar dos problemas da sua vida, ele construiria um super balão, com materiais alternativos, mas bem possíveis de funcionar. Com a ajuda da esposa e dos três credores, que foram lindamente enrolados por ele, Hans parte. Mas, além da fuga, ele buscava, também, realizar estudos acerca da pressão atmosférica; para tanto, leva consigo uma gata e duas pombas para participarem do experimento. Esse cara era mesmo doido.   

O fato é que ele chega ao seu destino, um destino dos sonhos! Confesso que o diário de bordo é a parte mais interessante dessa publicação. As coisas que ele vê e as experiências que ele tem no Céu são fantásticas! É entendível que o conto seja tão longo e tão cheio de dados tão específicos e meio maçantes para quem não curte o assunto, mas isso comprova, mais uma vez, a genialidade de Poe. A minha nota para A aventura sem paralelo de um tal Hans Pfaall é 10 menos 9. Brincadeira, esse é um conto razoável, mas está longe de ser um dos meus favoritos.  


Se você me conhece ou, ao menos me acompanha em alguma rede social, já teve ter visto muitas coisas relacionadas a esse poema. Ele é tão perfeito e cabe tanto em mim, é daquelas publicações que pensamos: certamente, eu poderia ter escrito isso. Sei que muitos experimentam essa sensação de não pertencimento, de sentir de maneira diferente, Poe traduziu muito bem nesse poema. Além dos contos, ele é um mestre em poesia e Alone é uma obra-prima. Se não conhece, clique para ouvir em português ou inglês

Tudo que amei, amei sozinho.
Edgar Allan Poe

Related Articles

0 comentários:

Postar um comentário