In #12mesesdepoe Livros

12 MESES DE POE // JANEIRO 2017

Hey, amigos!
Cheguei e trago boas notícias!! Acredito que quando surgiu o primeiro estalo para que a Anna Costa criasse esse desafio ela não imaginou que isso iria tomar essa proporção. Tanta gente desafiada, alguns mais tímidos outros mais ativos, mas o que importa é o tantão de gente que abraçou a ideia e seguiu firme e outros mais que se sentiram desafiados a vir nessa com a gente em 2017. Um monte de gente falando, lendo, vivendo o Universo Poe. É muito amor mesmo! Portanto, ela reformulou algumas coisas, em termos de organização mesmo, além de incluir poesia ao #12mesesdepoe. Então, teremos em todos os meses, até dezembro, um conto e um poema milimetricamente escolhido para compor o cronograma oficial


Como vocês podem ver na imagem, os conto para esse mês foi o A queda da Casa de Usher e para poema, O Palácio Assombrado

Publicado pela primeira vez em setembro de 1839, na Burton's Gentleman's Magazine, The Fall of the House of Usher - título original -, foi revisado em 1840 para Tales of the Grotesque and Arabesque e contem em seu corpo o poema "The Haunted Palace",  que foi publicado separadamente na revista Baltimore Museum, edição de abril de 1839.

A história começa com um narrador sem nome que chega na casa de seu amigo, Roderick Usher, tendo recebido dele uma carta na qual queixa-se de uma doença e pede sua ajuda. A primeira vista, percebe que trata-se se um imóvel assombroso, localizado na parte distante do país, e o que lhe chama a atenção é que ele possui uma fina rachadura que se estende desde o telhado até um lago próximo. O visitante, muito atento, queixa-se da atmosfera do lugar a todo tempo; porém, decide permanecer em consideração a essa amizade que perdura desde a infância. 

O que podemos perceber, diante da narrativa, é que Roderick sofre de sobrecarga sensorial, conhecida como hiperestesia, (hipersensibilidade a texturas, luz, sons, cheiros e sabores), além de ser hipocondríaco e ansioso (ele acha que essa doença misteriosa que o acomete é de família e que não há como escapar dela). Em dado momento, é revelado que Usher possui uma irmã gêmea que sofre de também de uma doença estranha que a faz definhar mesmo na flor da idade, ao que parece ela é cataplética.

Enquanto isso, o amigo do nosso narrador mostra dons artísticos impressionantes, com grande habilidade para pintura e música, onde o recém-chegado passa horas ouvindo suas composições musicais improvisadas no violão. Até que Roderick recita "O Palácio Assombrado" e então confessa ao narrador que ele acredita que a casa em que vive pode ter vida própria e que essa sensibilidade que sente decorre tanto do imóvel quanto dos arredores dele, com sua vegetação estranha e do lago sinistro que permeia o lugar, não é impressão do narrador, algo de muito misterioso acontece por ali. A ambientação é tão perfeita, tão rica de detalhes e descrições, que a vontade que temos é de estar lá - eu pelo menos. 😄


Durante os dias que o narrador passa na propriedade dos Usher, coisas inimagináveis acontecem. Tempestades, prenúncios de infortúnios através de livros e toda sorte de esquisitices. Esta ligação foi enfatizada no poema de Roderick "O Palácio Assombrado", que, ao que parece, é uma referência direta para a casa que, como o próprio título do conto sugere, prenuncia desgraça.

O que impressiona nessa história - tanto no conto quanto no poema - é a sobrecarga de mistério que envolve a narrativa. A cada parágrafo tudo vai ficando mais assustador e imprevisível. Não o final em si, que já se desenha desde o comecinho, mas o desenrolar das coisas é fantástico e o tempo todo nos perguntamos onde isso vai parar. Casas assombradas sempre me fascinaram e esse conto retrata isso de forma perfeita. Loucura, medo, desgraça, culpa, mistério... Podemos dizer que A Queda da Casa de Usher/O Palácio Assombrado trazem quase todos os elementos abordados por Poe, se não todos. Abrimos de maneira brilhante esse desafio!

Espero que vocês tenham gostado da minha análise e não esquece de deixar a sua reação nos emojis aqui embaixo ↓ Um beijo e até o próximo post! 

Related Articles

0 comentários:

Postar um comentário