In #12mesesdepoe Livros

#12MESESDEPOE // O RETRATO OVAL


Hey, amigos!
Chegamos ao fim do desafio #12mesesdepoe 2016. Para o último conto vou soltar aquele clichezão: fechamos com chave de ouro! Que maravilhoso é O Retrato Oval, gente. Lembro que li ainda adolescente e que coisas não me passaram despercebidas naquela época. Nossas vivências, experiências traumáticas fruto de relacionamento tóxicos, tá tudinho lá. Algumas vezes acabamos nos relacionando com quem nos faz mais mal do que bem, porém nunca é só mal e por isso prosseguimos com a relação e nem nos damos conta disso. 

Para poder identificar se o seu relacionamento é abusivo basta identificar alguns pontos, observando se te causa mal estar, se há desvalorização, ofensas, desrespeito às suas necessidades, ações egoístas e impensadas, atitudes grosseiras e mesquinhas... Existem pessoas que tem tendência a buscar relacionamentos tóxicos, justamente pelo perfil psicológico. Há quem permita que os outros desvalorizem por ter a autoestima baixa, dificuldade em dizer não e de se impor, de respeitar os próprios limites, por não se achar merecedor do melhor... Nesses casos, é preciso buscar ajuda profissional. 

Em O Retrato Oval vamos nos deparar, justamente, com essas características no relacionamento de uma jovem cheia de vida com um talentoso, mas obsessivo, pintor.  

"The Oval Portrait" foi publicado pela primeira vez em 1842 pela Graham's Magazine e conta a história de dois cavaleiros, o narrador e seu empregado, que durante a cavalgada pararam em um imóvel antigo, buscando abrigo de uma tempestade e também descanso, já que um deles (o nosso narrador) estava ferido. Já instalados em um dos aposentos, o criado logo adormece enquanto o narrador consegue tomar conhecimento do ambiente, notando que, embora decadente, é muito luxuoso. 

Com o passar das horas, a curiosidade vai aumentando até que ele descobre que, tal qual um museu, todas coisas ali possuem referência em um livro. Mas, após vasta investigação ele, fatigado pela leitura, ajeita o candelabro e uma parte oculta do quarto é descoberta trazendo à tona um tal retrato ovalado, e qual não foi seu espanto quando ele lhe pareceu vivo! Era preciso saber que história trazia aquele quadro, com tão bela e intrigante mulher. Procurou e lá estava. Tratava-se da apaixonada esposa de um pintor que, apesar de também a amar, tinha a atenção voltada apenas para sua arte e nada mais, o que enchia a moça de ressentimento e ciúmes. 

Tudo seguia nesse ritmo até que o marido resolveu que pintaria um retrato de sua mulher e ela obediente, e talvez em busca da atenção ausente, posou exaustivamente para o feito. O que se passava no ateliê era de conhecimento de todo mundo, (só o pintor não percebia, oi?). A mulher definhava dia a dia sem que nada fosse feito, e mesmo tornando-se fraca e amortalhada, o homem insano continuava o trabalho, aprisionando em sua tela a vivacidade que dela se esvaia. Após a última pincelada ele garante que o quadro está pronto e consumado: – É a vida, é a própria vida que eu aprisionei na tela! 


Criador de uma literatura inquietante, Poe possui como ninguém a arte de despertar a curiosidade pelo imprevisto, pelo mistério e sobretudo pelo terror. Mestre inconteste do suspense psicológico, ele consegue trazer personagens perturbados em ambientes perfeitamente naturais onde poderia estar eu e você. E nos envolve tão profundamente que não conseguimos escapar do seu extraordinário mundo. Ele é mesmo um verdadeiro gênio!

Assim, é com muita alegria que chego ao final dos 12 contos e com mais alegria ainda que digo que está confirmado o desafio para 2017 - e com poesia! Só de pensar na quantidade de pessoas que passaram a conhecer mais profundamente as obras, fazendo com que a memória dele permaneça viva... É muito gratificante! Só tenho a agradecer a Anna e a cada pessoa que participou por tudo isso, foi uma experiência maravilhosa! Até o ano que vem!!!


Se quiser relembrar todas as resenhas de 2016, clique aqui.

Related Articles

0 comentários:

Postar um comentário