In #thefabulousproject

#THEFABULOUSPROJECT: AGO | SEMANA 5


Hey, amigos!
Finda agosto e, assim, chegamos ao fim de 31 dias do #thefabulouproject. Ainda não sei se a Paloma Sernaitto manterá o projeto, mas, em caso positivo, não participarei mais; ao menos pelo Instagram. Fiquei um pouco desapontada com a interação, sabe? Tive a sensação de estar sempre sozinha, falando sozinha. A hashtag utilizada dificultou a identificação das fotos, apenas consegui perceber quem estava participando caso descrevesse nas legendas o tema diário e com essas poucas pessoas, consegui um contato meio superficial. Tentei aproximação diversas vezes, mas acabou morrendo por ali. Comentava nas fotos, mas as pessoas não teciam comentários nas minhas fotos; se estavam boas ou ruins, se expressava bem o tema proposto, que tipo de edição usei, nada. Apenas se limitavam a responder, quando muito, nas próprias fotos, apenas. 

Acho que o objetivo desses projetos é justamente estreitar laços entre os bloggers, discutir, interagir... Isso não teve. É muito difícil se comprometer, eu sei. Coisas diversas acontecem na vida, ficamos sem tempo, desanimados, pra baixo, ocupados, deprimidos... Mas, em 31 dias, em nenhum dia houve um dia com um tempinho livre, um gás a mais, um esforço maior? O projeto não foi de todo ruim, pude exercitar "a obrigação" de fotografar tal tema, me virar mesmo para pensar numa composição legal, esperar uma luz legal. Isso valeu. Valeu muito!

Bom, é isso que fiquei de explicar. Agora, vamos aos temas desses últimos dias:

27. Em pé. | 28. Brilho. | 29. Bolo | 30. 8h | 31. Retrospectiva

  
Uma foto publicada por Neila Bahia (@neilabahia) em

Uma foto publicada por Neila Bahia (@neilabahia) em

Uma foto publicada por Neila Bahia (@neilabahia) em


"A figura central desta carta está sentada sobre a enorme flor do vazio, e segura os símbolos da transformação - a espada que corta a ilusão, a serpente que se rejuvenesce trocando de pele, a corrente partida das limitações, e o símbolo yin/yang da transcedência da dualidade. Uma das mãos repousa no seu colo, aberta e receptiva. A outra está embaixo, tocando a boca de um rosto adormecido, simbolizando o silêncio que se instaura quando estamos em repouso. 🔹 Esse é um momento para a passividade profunda. Aceite qualquer dor, tristeza ou dificuldade, conforme-se com o 'fato consumado'. É muito semelhante à experiência do Buda Gautama quando, após anos de busca, ele finalmente desistiu, sabendo que não havia mais nada que pudesse fazer. Naquela mesma noite ele se tornou iluminado. A transformação chega, como a morte, no seu devido momento. E também como a morte, ela transporta você de uma dimensão para outra." - Agosto foi um mês de muitas mortes, mas sem morte não há vida, renascimento. . . #thefabulousproject: day 31 | Retrospectiva.
Uma foto publicada por Neila Bahia (@neilabahia) em

Um beijo e se cuidem. 

Related Articles

0 comentários:

Postar um comentário